×
Portal da Transparência Acesso à Informação Assista Sessão ao Vivo Estrutura Organizacional Atas das Sessões Pauta próxima Sessão Controle Interno Regimento Interno Plano Diretor Ouvidoria e-SIC

CÂMARA VOTA DOIS VETOS ENVIADOS PELA PREFEITURA

Um foi rejeitado e o outro foi aprovado pelos vereadores

No retorno da sessão ordinária da Câmara Municipal de Fartura, na quarta-feira (13), os vereadores apresentaram indicações, requerimentos e moções, como também votaram dois vetos enviados pelo prefeito Tinho Bortotti a projetos legislativos aprovados. A sessão foi por videoconferência devido ao decreto estadual de quarentena em combate ao coronavírus.
Por placares semelhantes, os vereadores rejeitaram, por cinco votos a quatro, o veto ao Projeto de Lei Legislativo 02/2020, que dispõe sobre o plano "Cartão Vermelho", que visa impedir a participação em licitações e celebração com o Poder Público de contratos administrativos de obras, serviços, compras, alienações e locações por empresas que não cumprem os contratos.
No voto de minerva, o presidente da Câmara, Isnar do Caminhão justificou ser contra o Veto comentando que mesmo com possíveis irregularidades no projeto, a intenção do autor (Fernando Pitukinha) é louvável. “Esse problema das empresas fajutas quem montam escritórios fajutos para vencer licitações e depois não consegue entregar o que vendeu ou terceiriza o serviço para outra empresa que também não tem capacidade, isso aconteceu muitas vezes aqui no município, temos no centro da cidade um exemplo (Praça 9 de Julho) que não preciso nem falar”, comentou Isnar.
Já o Veto ao Projeto de Lei Legislativo sobre o Censo Animal, apresentado por Pitukinha, visando o controle populacional de animais domésticos o voto de minerva do presidente Isnar foi favorável, com isso Veto foi aprovado por cinco votos a quatro, .
Os vereadores ainda aprovaram a deliberação do Projeto de Lei Ordinário, do Executivo, que dispõe sobre denominação do Anfiteatro da Escola Municipal Miguel de Góes Vieira. O nome sugerido no projeto foi de “Anfiteatro Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto”. O projeto será votado na próxima sessão ordinária no dia 27 de maio.
Mesmo sendo por videoconferência, a sessão contou com discussões acaloradas, troca de acusações e críticas a atual administração e prefeitos anteriores.